.

.

Mensagem do dia

10 março 2013

SIMBOLOGIA E LENDAS DO ARCO ÍRIS

USANDO SUA IMAGINAÇÃO PODEROSA, FECHE OS OLHOS E APAGUE AS CORES AO SEU REDOR.
O QUE VOCÊ VÊ?
DEPOIS SE QUISER PASSE PARA MIM SUAS OBSERVAÇÕES.
AS CORES FAZEM PARTE DE NÓS E DO UNIVERSO.
YURI GAGARINE (09/03/1934... 23/03/1968) EM 12 DE ABRIL DE 1961 DISSE QUE A TERRA ERA AZUL.
ENTÃO...  ELA TEM COR!
A NATUREZA ESTA CHEIA DE CORES EM CADA DETALHE, NOS OBJETOS, NOS JARDINS, NAS RUAS, CADA QUAL COM SUAS PARTICULARIDADES.
EXERCE GRANDE INFLUÊNCIA SOBRE O HOMEM DIZ A MEDICINA MODERNA QUANTO AO USO TERAPÊUTICO = CROMOTERAPIA.
NA METEOROLOGIA, O ARCO ÍRIS É O RESULTADO DA COMBINAÇÃO DO SOL COM A CHUVA. A UNIÃO DESSES DOIS ELEMENTOS PROMOVE UM DOS FENÔMENOS MAIS ESPETACULAR DA TERRA.
BREVE EXPLICAÇÃO...
APÓS A CHUVA, O AR CONTINUA CHEIO DE PARTÍCULAS DE ÁGUA.
A LUA BRANCA DO SOL, QUE É FORMADA POR VÁRIAS CORES, POR ISSO DIZEM  QUE O BRANCO É A MISTURA DE TODAS ELAS, MOSTRA-SE INDIVIDUALMENTE AO NOSSOS OLHOS EM TONS DE VERMELHO, QUE A TORNA SEMPRE A PRIMEIRA COR DO ARCO ÍRIS DEVIDO A SUA VELOCIDADE MAIS RÁPIDA.
EM SEGUIDA MARCAM PRESENÇA, O LARANJA, O AMARELO, O VERDE, O AZUL, E O VIOLETA QUE APARECE POR ÚLTIMO LUGAR POR CONTA DA BAIXA VELOCIDADE E OS DIVERSOS ÂNGULOS QUE PARTICIPAM ATIVAMENTE DESSE PROCESSO PRODUZINDO UM SHOW DE CORES NO CÉU.
SABIA QUE EXISTEM MILHARES DE CORES INTERMEDIÁRIAS QUE NOSSOS OLHOS NÃO ALCANÇAM?
É ISSO MESMO.
SÃO OS MISTÉRIOS DA NATUREZA.
FALADO... CANTADO EM PROSA E VERSO O ARCO ÍRIS TEM EXERCIDO SOBRE 
A TERRA, LINGUAGENS VERBAL, VISUAL, INDUZINDO ENCANTAMENTO COM SEUS INÚMEROS SIGNIFICADOS, INSPIRANDO POETAS, DESPERTANDO PENSAMENTOS, ALIMENTANDO O IMAGINÁRIO, REFORÇANDO MITOS E LENDAS, 
ENRIQUECENDO OBRAS LITERÁRIAS, CAUSANDO QUESTIONAMENTOS E CURIOSIDADES.
COM OS SEUS MISTÉRIOS E BELEZA AGUÇA OS SENTIDOS FAZENDO DA NATUREZA UMA ALIADA VISUAL ENCANTANDO OS DIVERSOS OLHARES DO CORPO E DA ALMA.
POIS BEM...
FALAMOS SOBRE O PAPEL DA METEOROLOGIA, DA MEDICINA MODERNA QUANDO SE ASSOCIA AO USO DA CROMOTERAPIA
E O QUE SABEMOS SOBRE A CRIAÇÃO DIVINA?
VASTO ASSUNTO!!!!!!!!!!!!
COM BREVIDADE DIREI:
“O MEU ARCO TENHO POSTO NA NUVEM”.
ESTE SERÁ O SINAL DO CONCERTO ENTRE MIM E A TERRA.
(Gn 8.13).
O ARCO ÍRIS É UM SINAL DA PROMESSA DIVINA ASSEGURANDO A HUMANIDADE QUE NUNCA HAVERIA DE DESTRUIR A TERRA POR CAUSA DO “HOMEM MAU”.
O MUNDO ATRAVESSA UM MOMENTO TAL E QUAL NA ÉPOCA DO GRANDE DILÚVIO, E ATRAVÉS DELE DEUS RESOLVEU RECONSTRUIR O FUTURO DA SUA CRIAÇÃO, DANDO NOVA  OPORTUNIDADE AO HOMEM DE VIVER EM UM MUNDO DE MELHOR QUALIDADE, CONSTRUINDO UMA PONTE ENTRE O CÉU E A TERRA, UNINDO O FÍSICO E O ESPIRITUAL.
ENTÃO O QUE ACONTECE?
VOCÊ ACHA QUE O HOMEM ACREDITA QUE NÓS TODOS TEMOS RESPONSABILIDADES, OBRIGAÇÕES, DEVERES DE CUIDAR DA NOSSA MORADA QUE É A TERRA?
MESMO QUE SEJA LÁ DE PASSAGEM...É BOM LEMBRAR.
ENTÃO POR QUE A NATUREZA PEDE TANTO SOS?
FLORESTAS SENDO DERRUBADAS... RIOS E MARES TRANSFORMADOS EM DEPÓSITOS DE LIXO, EXTERMINANDO OS MORADORES E DONOS DO LUGAR.
REBELDES EM CAUSA PRÓPRIA, O HOMEM MAU PROMOVE MEIOS PARA A NATUREZA COBRAR SEU ESPAÇO CAUSANDO GRANDES DESASTRE, DOR...SOFRIMENTO...PERDAS...ANGUSTIAS...
CUIDEMOS, POIS PARA QUE A NATUREZA SEJA MENOS PREJUDICADA.
FAÇA POR ONDE RECEBER A RECOMPENSA QUE VEM DE DEUS 
FAÇA POR ONDE RECEBER A RECOMPENSA QUE VEM DE DEUS E QUE ESTÁ NO FINAL DO ARCO ÍRIS.
O GRANDE POTE DE OURO.
O AMOR DE DEUS.
                     0 ARCO ÍRIS TEM =

7 CORES
7 DESEJOS
7 VIBRAÇÕES
7 TONS
7 SONHOS
7 PAIXÕES
7 NOTAS
--------------------------------------

MUITOS AMIGOS
MUITAS VISITAS
MUITOS AMORES
MUITAS PAIXÕES
MUITOS SONHOS
MUITAS CORES
MUITOS TONS.  


-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
                         
ALGUMAS LENDAS SOBRE O ARCO IRIS ACHADAS NA NET.

01
  
A LENDA DO ARCO-ÍRIS
O JOÃO ERA POBRE. 
O PAI TINHA MORRIDO E ERA MUITO DIFÍCIL A MÃE MANTER A CASA E SUSTENTAR OS FILHOS.
UM DIA ELA PEDIU-LHE QUE FOSSE PESCAR ALGUNS PEIXES PARA O JANTAR.
O JOÃO REPAROU NUMA COISA A MEXER-SE NO MEIO DO
ARVOREDO APROXIMOU-SE SORRATEIRO,
ABAIXOU-SE, AFASTOU AS FOLHAS DEVAGARINHO E. . .
VIU UM PEQUENO HOMEM SENTADO NUM MINÚSCULO BANCO DE MADEIRA.
COSTURAVA UM COLETE VERDE COM UM AR COMPENETRADO ENQUANTO CANTAROLAVA UMA MUSIQUINHA.
À FRENTE DO JOÃO ESTAVA UM ANÃO.
RAPIDAMENTE ESTICOU O BRAÇO E PRENDEU O HOMENZINHO ENTRE OS DEDOS.
- BOA TARDE, MEU SENHOR.
COMO ESTÁS, JOÃO? - RESPONDEU O HOMENZINHO COM UM SORRISO MALICIOSO.
MAS O ANÃO TINHA MONTES DE TRUQUES PARA SE LIBERTAR DOS HUMANOS. INVENTAVA PESSOAS E ANIMAIS A APROXIMAREM-SE, PARA QUE DESVIASSEM O OLHAR E ELE PUDESSE ESCAPAR.
- DIZ-ME LÁ, ONDE FICA O TESOURO DO ARCO-ÍRIS?
MAS O ANÃO GRITOU PARA O JOÃO QUE VINHA LÁ UM TOURO BRAVO A CORRER BEM NA SUA DIREÇÃO.
ELE ASSUSTOU-SE, ABRIU A MÃO E O ANÃO DESAPARECEU.
O JOÃO SENTIU UMA GRANDE TRISTEZA, POIS QUASE TINHA FICADO RICO.
E, COM ESTAS ANDANÇAS, VOLTOU PARA CASA DE MÃOS A ABANAR, SEM TER PESCADO PEIXE NENHUM. MAL CHEGOU CONTOU À MÃE O SUCEDIDO. ESTA, QUE JÁ CONHECIA A MANHA DOS ANÕES, ENSINOU-O:
-SE ALGUMA VEZ O ENCONTRARES,  DIZ-LHE QUE TRAGA O TESOURO IMEDIATAMENTE. 
PASSARAM-SE MESES.
ATÉ QUE UM DIA, AO VOLTAR PARA CASA, SENTIU OS OLHOS OFUSCADOS COM UM BRILHO INTENSO.
O ANÃO ESTAVA SENTADO NO MESMO PEQUENO BANCO DE MADEIRA, SÓ QUE DESTA VEZ CONSERTAVA UM DOS SEUS SAPATOS. 
- CUIDADO! VEM LÁ O GAVIÃO! - GRITOU O ANÃO, FAZENDO UMA CARA DE MEDO.
- NÃO ME TENTES ENGANAR! - DISSE O JOÃO. - TRAZ JÁ O POTE DE OURO!
- TRAZ JÁ O POTE DE OURO OU EU NUNCA MAIS TE SOLTO.
- ESTÁ BEM! - CONCORDOU O ANÃO. –
DESTA VEZ GANHASTE!
O PEQUENO HOMEM FEZ UM GESTO COM A MÃO E IMEDIATAMENTE UM BELÍSSIMO ARCO-ÍRIS ILUMINOU O CÉU, SAINDO DO MEIO DE DUAS MONTANHAS E TERMINANDO BEM AOS PÉS DO JOÃO. 
AS 7 CORES ERAM TÃO INTENSAS QUE ATÉ ESCONDERAM O PEQUENO POTE DE BARRO, CHEIO DE OURO E PEDRAS PRECIOSAS, QUE ESTAVA À SUA FRENTE.
O ANÃO BAIXOU-SE, COM O CHAPÉU FEZ-LHE UM ACENO DE DESPEDIDA, E GRITOU, POUCO ANTES DE DESAPARECER PARA SEMPRE: 
- ADEUS, JOÃO! ÉS UM MENINO ESPERTO! TERÁS SORTE E SERÁS FELIZ PARA SEMPRE!
E FOI O QUE ACONTECEU. O POTE DE OURO NUNCA SE ESGOTOU E O JOÃO E A SUA FAMÍLIA TIVERAM UMA VIDA DE MUITA FARTURA E DE MUITA ALEGRIA.
LENDA ANÔNIMA IRLANDESA.

------------------------------------------------------------------------ 

02

HÁ MUITO E MUITO TEMPO, VIVIA SOBRE UMA PLANÍCIE DE NUVENS UMA TRIBO MUITO FELIZ.
COMO NÃO HAVIA SOLO PARA PLANTAR, SÓ UM EMARANHADO DE FIOS BRANQUINHOS E FOFOS COMO ALGODÃO-DOCE, AS PESSOAS SE ALIMENTAVAM DA CARNE DE AVES ABATIDAS COM FLECHAS, QUE FAZIAM AMARRANDO EM FEIXE UMA PORÇÃO DOS FIOS QUE FORMAVAM O CHÃO.
DE VEZ EM QUANDO, O CHÃO DAVA UMAS SACUDIDELAS, A PLANÍCIE INTEIRA CORCOVEAVA E DIMINUÍA DE TAMANHO, COMO SE ALGUÉM ABOCANHASSE PARTE DELA.
CERTA VEZ, TENTANDO ALVEJAR UMA AVE, UM CAÇADOR ERROU A PONTARIA E A FLECHA SE CRAVOU NO CHÃO.
AO ARRANCÁ-LA, ELE VIU QUE SE ABRIRA UMA FENDA, ATRAVÉS DA QUAL PÔDE VER QUE LÁ EMBAIXO HAVIA OUTRO MUNDO.
ESPANTADO, O CAÇADOR TAMPOU O BURACO E FOI EMBORA. NÃO CONTOU SUA DESCOBERTA A NINGUÉM.
NA MANHÃ SEGUINTE, VOLTOU AO LOCAL DA PASSAGEM, TRANÇOU UMA LONGA CORDA COM OS FIOS DO CHÃO E DESCEU ATÉ O OUTRO MUNDO.
FOI PARAR NO MEIO DE UMA ALDEIA ONDE UMA LINDA ÍNDIA LHE DEU AS BOAS-VINDAS, TÃO SURPRESA EM VÊ-LO DESCER DO CÉU QUANTO ELE DE ENCONTRAR CRIATURA TÃO BELA E AMÁVEL.
CONVERSARAM LONGO TEMPO E O CAÇADOR SOUBE QUE A REGIÃO ONDE ELE VIVIA ERA CONHECIDA POR ELA E SEU POVO COMO "O MUNDO DAS NUVENS", FORMADO PELAS ÁGUAS QUE EVAPORAVAM DOS RIOS, LAGOS E OCEANOS DA TERRA.
AS ÁGUAS CAÍAM DE VOLTA COMO UMA CORTINA LÍQUIDA, QUE ELES CHAMAVAM DE CHUVA. "VAI VER, É POR ISSO QUE O CHÃO LÁ DE CIMA TREME E ENCOLHE", ELE PENSOU. 
AO FIM DA TARDE, O CAÇADOR DESPEDIU-SE DA MOÇA, AGARROU-SE À CORDA E SUBIU DE VOLTA PARA CASA. DALI EM DIANTE, TODOS OS DIAS ELE ESCAPAVA PARA ENCONTRAR-SE COM A JOVEM.
ELA DESCREVEU PARA ELE OS ANIMAIS FEROZES QUE HAVIA LÁ EMBAIXO. ELE DISSE A ELA QUE LÁ NO ALTO AS COISAS MATERIAIS NÃO TINHAM VALOR NENHUM.
UM DIA, A JOVEM DEU AO CAÇADOR UM CRISTAL QUE HAVIA ACHADO PERTO DE UMA CACHOEIRA. E PEDIU PARA VISITAR O MUNDO DELE.
O RAPAZ A AJUDOU A SUBIR PELA CORDA. 
MAL TINHAM CHEGADO LÁ NAS ALTURAS, DESCOBRIRAM QUE HAVIAM SIDO SEGUIDOS PELOS PARENTES DELA, CURIOSOS PARA VER COMO SE VIVIA TÃO PERTO DO CÉU.
FORAM TODOS RECEBIDOS COM UMA GRANDE FESTA, QUE SELOU A AMIZADE ENTRE AS DUAS NAÇÕES. A PARTIR DE ENTÃO, COMEÇOU UM GRANDE SOBE-E-DESCE ENTRE CÉU E TERRA. 
A CORDA NÃO RESISTIU A TANTO TRÂNSITO E SE PARTIU.
UMA LARGA ESCADA FOI ENTÃO CONSTRUÍDA E O MOVIMENTO SE TORNOU AINDA MAIS INTENSO. O POVO LÁ DE BAIXO, INDO A TODA A HORA DIVERTIR-SE NAS NUVENS, DEIXOU DE LAVRAR A TERRA E DE CUIDAR DO GADO.
OS HABITANTES LÁ DE CIMA PARARAM DE CAÇAR PÁSSAROS E COMEÇARAM A SE APEGAR ÀS COISAS QUE AS PESSOAS DE BAIXO LHES LEVAVAM DE PRESENTE OU QUE ELES MESMOS DESCIAM PARA BUSCAR.
VENDO A DESARMONIA INSTALAR-SE ENTRE SUA GENTE, O CAÇADOR DESTRUIU A ESCADA E FECHOU A PASSAGEM ENTRE OS DOIS MUNDOS. AOS POUCOS, AS COISAS FORAM VOLTANDO AO NORMAL, TANTO NA TERRA COMO NAS NUVENS.
MAS A JOVEM ÍNDIA, QUE FICARA LÁ EM CIMA COM SEU AMADO, TINHA SAUDADE DE SUA FAMÍLIA E DE SEU MUNDO SEM PODER VÊ-LOS, COMEÇOU A FICAR CADA VEZ MAIS TRISTE. ABORRECIDO, O CAÇADOR FAZIA TUDO PARA ALEGRÁ-LA. SÓ NÃO CONCORDAVA EM REABRIR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS DOIS MUNDOS: O SOBE-E-DESCE RECOMEÇARIA E A SOBREVIVÊNCIA DE TODOS ESTARIA AMEAÇADA.
CERTA TARDE, O CAÇADOR BRINCAVA COM O CRISTAL QUE GANHARA DA MULHER.
AS NUVENS COMEÇARAM A SACUDIR SOB SEUS PÉS, SINAL DE QUE LÁ EMBAIXO ESTAVA CHOVENDO. DE REPENTE, UM RAIO DE SOL PASSOU PELO CRISTAL E SE ABRIU NUM MARAVILHOSO ARCO-ÍRIS QUE LIGAVA O CÉU E A TERRA. TROCANDO O CRISTAL DE UMA MÃO PARA OUTRA, O RAPAZ VIU QUE O ARCO-ÍRIS MUDAVA DE LUGAR.
- IUUPII! - GRITOU ELE. - DESCOBRI A SOLUÇÃO PARA MEUS PROBLEMAS!
DAQUELE DIA EM DIANTE, QUANDO APARECIA O SOL DEPOIS DA CHUVA, SUA JOVEM MULHER ESCORREGAVA PELO ARCO-ÍRIS ABAIXO E IA MATAR A SAUDADE DE SUA GENTE.
SE ALGUÉM LÁ DE BAIXO SE METIA A QUERER VISITAR O MUNDO DAS NUVENS, O CAÇADOR MUDAVA A POSIÇÃO DO CRISTAL E O ARCO-ÍRIS SALTAVA PARA OUTRO LADO.
ATÉ HOJE, ELE SÓ PERMITE A SUBIDA DE SUA AMADA. QUE SEMPRE VOLTA,  FELIZ, PARA SEUS BRAÇOS.
EU SEMPRE OUVIRA FALAR QUE NO FINAL DO ARCO-ÍRIS EXISTIA UM POTE DE OURO, MAS NÃO FOI BEM ISSO QUE EU VI, QUANDO ESTIVE LÁ.
É. EU JÁ ESTIVE NO FINAL DO ARCO-ÍRIS.
TUCA, TECA, ZECA E EU VIVÍAMOS INTRIGADOS PARA SABER O QUE, DE FATO, HAVERIA NO FINAL DO ARCO-ÍRIS.
- GENTE, EXISTE UM ENORME POTE DE OURO, E SE ENCONTRARMOS, VAMOS FICAR MILIONÁRIOS.
TECA, QUE NÃO PENSAVA EM NADA À TOA, RESPONDEU:
- SE EXISTE MESMO UM POTE DE OURO, VOCÊ NÃO ACHA QUE ALGUÉM JÁ DEVERIA TER PENSADO EM IR LÁ? PIRATAS, AVENTUREIROS, MERCENÁRIOS, TODOS AQUELES QUE SÓ PENSAM EM RIQUEZA, NUNCA FORAM PEGAR O TAL POTE.
- É QUE NENHUM DELES TEVE A CORAGEM DE IR.
- E VOCÊ, O SUPER ZECA, TEM CORAGEM E VAI CONSEGUIR PEGAR O POTE.
- É ISSO MESMO!
- DEIXA DE SER BOBO, GAROTO.
QUANDO A TECA E O ZECA COMEÇAVAM A DISCUTIR, EU E A TUCA NUNCA NOS METÍAMOS. SABE COMO É BRIGA DE IRMÃOS, NÉ?
MAS DEPOIS QUE A DISCUSSÃO ACABOU,  A TUCA SE PRONUNCIOU:
- EU ACHO QUE A TECA TEM RAZÃO, MAS POR OUTRO LADO, EU LI NUM LIVRO QUE NÃO É QUALQUER UM QUE PODE CHEGAR LÁ. É PRECISO, ALÉM DE CORAGEM, ACREDITAR QUE ELE EXISTE.
- QUE O ARCO-ÍRIS EXISTE?
- NÃO, BURRO. O FINAL DO ARCO-ÍRIS.
É QUE, NA VERDADE, NINGUÉM NUNCA ACREDITOU NISSO.
- EU ACREDITO! EU ACREDITO!
A FORÇA DAS PALAVRAS DE ZECA FOI TANTA, QUE TODOS PASSAMOS A ACREDITAR QUE ZECA ACREDITAVA NA LENDA DO FINAL DO ARCO-ÍRIS.
- EU ACREDITO! EU ACREDITO!
COMO CADA UM DE NÓS, NO FUNDO, ACREDITAVA UM POUQUINHO NESSA LENDA, RESOLVEMOS QUE NO DIA EM QUE O ARCO-ÍRIS APARECESSE, NÓS TENTARÍAMOS CHEGAR ATÉ O SEU FINAL.
- ENTÃO TODO MUNDO TEM QUE FICAR ATENTO: NO DIA EM QUE ELE APARECER, NOS ENCONTRAMOS NA CASA DA TUCA.
NÃO DEMOROU MUITO PARA CHEGAR O DIA EM QUE O ARCO-ÍRIS APARECEU. SÓ QUE ERA DE TARDE, E A TECA DEMOROU MUITO PARA CHEGAR, POIS ELA ESTAVA NA ESCOLA.
- DESCULPA,  GALERA. EU NÃO CONSEGUI CHEGAR MAIS CEDO.
- SÓ PODIA SER A MINHA IRMÃ PARA ATRAPALHAR TUDO.
- QUER PARAR DE IMPLICAR, GAROTO.
RAPIDAMENTE EU COLOQUEI A MINHA AUTORIDADE DE MAIS VELHO E PAREI AQUELA DISCUSSÃO. QUANDO COMEÇAMOS A CAMINHAR O SOL ESTAVA QUASE SE PONDO.
- TÁ VENDO! TÁ VENDO! NÃO VAI DAR TEMPO DE CHEGAR LÁ.
- MAS TAMBÉM ESSA CHUVA SÓ ACABOU AGORA!
- E PELO VISTO NÃO VAI CHOVER TÃO CEDO.
PARA OS QUE NÃO SABEM,  O ARCO-ÍRIS SÓ APARECE DEPOIS DA CHUVA, QUANDO O SOL BATE NAS GOTAS QUE AINDA ESTÃO NO AR.
- MAS O QUE ADIANTA SER DE TARDE OU DE MANHÃ. O ARCO-ÍRIS SÓ DURA UNS POUCOS MINUTOS.
- VOCÊ SEMPRE TEM UM RACIOCÍNIO PERFEITO, MINHA IRMÃZINHA.
- CALMA, ZECA, A TECA, COMO SEMPRE, TEM RAZÃO, SÓ QUE NO MESMO LIVRO, QUE EU OBTIVE AQUELAS INFORMAÇÕES, DIZ QUE HAVERÁ UM DIA EM QUE O ARCO-ÍRIS VAI BRILHAR O DIA INTEIRO.
QUEM SABE SERÁ NO PRÓXIMO DIA EM QUE ELE APARECER.
TODOS FICAMOS  MUITO DESANIMADOS.
O TAL DIA NUNCA HAVIA ACONTECIDO, NÃO SERIA AGORA QUE ELE IRIA ACONTECER.
- O MELHOR QUE TEMOS A FAZER É IRMOS PARA CASA E ESPERARMOS O TAL DIA. VAMOS, ZECA, MAMÃE DEVE ESTAR ESPERANDO A GENTE PARA JANTAR.
NÃO É PRECISO DIZER QUE O TAL DIA DEMOROU, DEMOROU E NÃO CHEGOU. ENTÃO, PARA LEVANTAR O ÂNIMO, CONVIDEI OS TRÊS PARA PASSAREM O FIM DE SEMANA NO SÍTIO DA MINHA AVÓ.
TECA E ZECA ACEITARAM NO ATO, MAS TUCA FICOU INDECISA:
- NÃO SEI, NÃO. É LÓGICO QUE A VIAGEM VAI SER O MÁXIMO, MAS JÁ IMAGINOU O QUE NÓS VAMOS TER QUE AGUENTAR COM AS IMPLICÂNCIAS ENTRE O ZECA E A TECA?
ISSO ERA VERDADE.
PASSAR O FIM DE SEMANA INTEIRO NA COMPANHIA DOS DOIS NÃO IA SER MOLE.
MAS O ARGUMENTO DE QUE AS DIVERSÕES IAM ABAFAR AS DISCUSSÕES, FEZ COM QUE ELA TOPASSE.
E NO PRIMEIRO DIA FICOU PROVADO QUE EU TINHA RAZÃO: NÃO HOUVE NENHUMA DISCUSSÃO E AS BRINCADEIRAS FORAM MUITAS.
BANHO DE RIO, AVENTURAS NA FLORESTA, PASSEIO DE CAVALO, EXCURSÃO À GRANJA. TUDO O QUE TÍNHAMOS DIREITO EM UM SÍTIO.
À NOITE, CANSADOS, DA SALA DE LEITURA OUVÍAMOS A CHUVA QUE CAÍA.
LOGO, COM O CHEIRO GOSTOSO DE TERRA MOLHADA, E COM O BARULHO DA CHUVA, DORMIMOS,  OS QUATRO, NO TAPETE DA SALA.
QUANDO ACORDEI, O SOL JÁ INVADIA A SALA E UM FACHO DE LUZ ILUMINAVA OS ADORMECIDOS. FUI À JANELA, E QUANDO OLHEI PARA FORA VÍ, MAIS BRILHANTE DO QUE NUNCA, O ARCO-ÍRIS. MEU CORAÇÃO COMEÇOU A DISPARAR E, QUASE SEM VOZ, ACORDEI OS OUTROS, QUE RELUTARAM A LEVANTAR.
- AH, QUE É ISSO?
AINDA NEM FECHEI OS OLHOS JÁ TENHO QUE LEVANTAR?
- NEM ADIANTA ME CHAMAR. EU PRECISO DE NOVE HORAS DIÁRIAS DE SONO, SENÃO EU NÃO SOU NINGUÉM.
SÓ A TUCA SE LEVANTOU E QUANDO EU A LEVEI PARA A JANELA, ELA DEU UM GRITO QUE ACORDOU OS IRMÃOS.
- O QUE FOI ISSO?
- ACONTECEU ALGUMA COISA?
- OLHEM! OLHEM PELA JANELA!
- MINHA NOSSA: O ARCO-ÍRIS!
- NUNCA VI TÃO NÍTIDO E BRILHANTE!
- VAMOS, GENTE, VAMOS TENTAR!
RAPIDAMENTE SEGUIMOS SUA TRILHA E, A CADA PASSO QUE DÁVAMOS, MAIS NÍTIDO ELE FICAVA, MAS O SEU FINAL PARECIA ESTAR MUITO LONGE.
- EU ACHO QUE ESSE ARCO-ÍRIS NÃO TEM FINAL.
- NÃO FALA ISSO, TECA. A GENTE TEM QUE ACREDITAR.
- AGORA, MAIS DO QUE NUNCA, EU ACREDITO.
HAVIA HORAS QUE ESTÁVAMOS ANDANDO E O ARCO-ÍRIS NÃO TINHA DESAPARECIDO. PELO CONTRÁRIO, ESTAVA ENORME, QUASE OCUPANDO O CÉU INTEIRO.
- TALVEZ SEJA HOJE O TAL DIA EM QUE O ARCO-ÍRIS VAI BRILHAR ATÉ A NOITE. MAS SÓ QUE EU ESTOU COMEÇANDO A FICAR COM FOME.
- VOCÊ TEM RAZÃO, TUCA. MEU ESTÔMAGO JÁ TÁ RONCANDO HÁ MUITO TEMPO.
- E AGORA GENTE? NÃO TROUXEMOS NADA PARA COMER.
DESDE PEQUENININHO EU VIVIA NAQUELE SÍTIO, MAS NUNCA HAVIA ANDADO POR AQUELAS TERRAS. COMO NUM PASSE DE MAGICA VÁRIAS ÁRVORES FRUTÍFERAS FORAM APARECENDO PELO CAMINHO. ERAM MAÇÃS, ABACAXIS, LARANJAS, PERAS, MORANGOS, JABUTICABAS, MAMÕES, MANGAS…
PUDEMOS MATAR A NOSSA FOME. PARECIA QUE ESTÁVAMOS NO PARAÍSO, MAS TECA, SEMPRE REALISTA, NOS CHAMOU À TERRA.
- GENTE, SE HOJE É O DIA EM QUE O ARCO-ÍRIS VAI BRILHAR ATÉ A NOITE, TEMOS QUE NOS APRESSAR, POIS PELA POSIÇÃO DO SOL AGORA JÁ ESTAMOS NO MEIO DA TARDE.
CONTINUAMOS A CAMINHADA. E, FINALMENTE, ATRÁS DE UM PEQUENO MONTE, CONSEGUIMOS AVISTAR O FINAL DO ARCO-ÍRIS. ELE TERMINAVA NUM POÇO.
A ALEGRIA FOI GERAL. CORREMOS MUITO ATÉ CHEGAR AO POÇO. NA VERDADE, NÃO ERA UM POÇO, ERA UM PEQUENO LAGO. DO TAMANHO DE UMA PISCINA. A PRIMEIRA REAÇÃO QUE TIVEMOS FOI MERGULHAR, MAS TECA NOS IMPEDIU:
- CALMA GENTE. TEMOS QUE IR DEVAGAR, AFINAL NINGUÉM NUNCA CHEGOU ATÉ ESSE POÇO. ELE DEVE RESERVAR ALGO MUITO IMPORTANTE.
- NO FUNDO DO POÇO DEVE ESTAR O POTE DE OURO.
- VOCÊ TERIA CORAGEM DE MERGULHAR E IR BUSCÁ-LO?
- BEM… É… SE VOCÊS FOREM COMIGO.
- TECA TEM TODA RAZÃO: TEMOS QUE PENSAR UM POUCO ANTES DE ENTRAR NESSA ÁGUA.
DEPOIS DE ALGUM TEMPO, EU TIVE A IDEIA DE ENTRAR AOS POUCOS PARA VER NOSSA REAÇÃO.
- VAMOS COMEÇAR PELOS PÉS, DEPOIS AS PERNAS…
- ISSO, DEPOIS ENTROU DE VEZ.
E FOI ASSIM. TODOS NÓS COLOCAMOS OS PÉS, AS PERNAS, ENTRAMOS ATÉ A CINTURA, E NADA DE ANORMAL ACONTECIA.
ZECA, NA SUA IMPACIÊNCIA, NÃO AGUENTOU: PULOU. AFUNDOU DENTRO DO RIO, E COM O CORPO TODO MOLHADO FALOU:
- NADA. 
NADA DE ANORMAL ACONTECEU. 
VOU MERGULHAR E IR ATÉ O FUNDO PARA VER SE ACHO O POTE.
ESPERAMOS O ZECA VOLTAR, MAS O TEMPO PASSOU E ELE NÃO APARECEU. 
QUANDO NOSSA ANSIEDADE CHEGOU AO LIMITE, AFUNDAMOS. NADA DE ZECA.
NADA DE FINAL DO POÇO. MAS AO MESMO TEMPO PARECIA QUE NÃO ESTÁVAMOS NO FUNDO DO POÇO, POR QUE CONSEGUÍAMOS RESPIRAR E FALAR, COMO SE ESTIVÉSSEMOS EM TERRA.
- ESTOU PREOCUPADÍSSIMA.
ONDE ESTÁ O MEU IRMÃO?
- CALMA, TECA, ELE DEVE ESTAR BEM. 
NÓS NÃO ESTAMOS?
POR UM INSTANTE TIVE UMA SENSAÇÃO ESTRANHÍSSIMA: ERA COMO SE A MINHA VIDA INTEIRA PASSASSE PELA MINHA CABEÇA. 
ATÉ OS MOMENTOS QUE EU AINDA NÃO TINHA VIVIDO. ZECA APARECEU EM SEGUIDA, E TODOS SUBIMOS PARA A SUPERFÍCIE.
O ESPANTO FOI GRANDE: TODOS NÓS HAVÍAMOS ENVELHECIDO UNS 30 ANOS. ZECA ESTAVA DE BARDA. TECA, MUITO BONITA, USAVA ÓCULOS E UMA ROUPA BRANCA, E UMA ESTRANHA RELAÇÃO ME UNIA À TUCA.
FISICAMENTE HAVÍAMOS ENVELHECIDO, MAS A NOSSA MENTALIDADE CONTINUAVA A MESMA, EXCETO POR ALGUNS COMENTÁRIOS ESTRANHOS.
- E AGORA, O QUE VAMOS FAZER? TENHO QUE ESTAR NO ESCRITÓRIO SEGUNDA-FEIRA PARA FECHAR ALGUNS CONTRATOS.
- ESCRITÓRIO? QUE PAPO É ESSE, ZECA?
- SEI LÁ! NÃO SEI POR QUE EU FALEI ISSO. QUE ESTRANHO!
- ESTRANHO É FICAR AQUI BRINCANDO COMO CRIANÇA SABENDO QUE MEUS PACIENTES ESTÃO PRECISANDO DE MIM.
- QUE ISSO, TECA? PACIENTES? SÓ SE FOREM AS SUAS BONECAS.
- VOCÊ TEM RAZÃO, PORQUE É QUE EU FALEI ISSO?
- SERÁ QUE FICAMOS MALUCOS?
FALANDO ISSO, TUCA OLHOU PARA MIM INDIGNADA POR QUE TÍNHAMOS DEIXADO AS CRIANÇAS SOZINHAS. QUE CRIANÇAS? TUDO ESTAVA MUITO ESTRANHO. 
ALGUMA COISA MÁGICA ACONTECEU QUANDO MERGULHAMOS NO POÇO. FICAMOS APAVORADOS:
- E AGORA?
- O MELHOR QUE TEMOS A FAZER É MERGULHAR NOVAMENTE NO POÇO.
- E SE ENVELHECERMOS MAIS?
- ZECA, ACHO QUE NÃO TEMOS OUTRA ALTERNATIVA.
MERGULHAMOS E NADAMOS ATÉ O PONTO ONDE TÍNHAMOS IDO. VOLTAMOS PARA A SUPERFÍCIE, MAS CONTINUÁVAMOS ADULTOS. TUCA COMEÇOU A CHORAR. 
ZECA FICOU MUDO DE NERVOSO. TECA, PELA PRIMEIRA VEZ, NÃO SABIA O QUE FAZER.
- GENTE, EU ACHO QUE A NOSSA BRINCADEIRA FOI LONGE DEMAIS. VAMOS VOLTAR PARA CASA.
DESESPERADOS, SAÍMOS CORRENDO PELO MESMO CAMINHO QUE TÍNHAMOS VINDO. SÓ QUE A PAISAGEM ERA OUTRA. 
O CAMPO MAIS PARECIA UM DESERTO. AQUELAS ÁRVORES FRUTÍFERAS TINHAM DESAPARECIDO E NÃO CONSEGUÍAMOS CHEGAR NA CASA DA MINHA AVÓ. 
A NOITE CAÍA E O MEDO AUMENTOU. DE VEZ EM QUANDO ALGUÉM FALAVA ALGUMA COISA ESTRANHA, QUE NINGUÉM ENTENDIA:
- E AS CRIANÇAS? COMO SERÁ QUE ELAS ESTÃO? SERÁ QUE A BABÁ ESTÁ CUIDANDO BEM DELAS?
- QUE CRIANÇAS, TUCA?
- SEI LÁ.
EXAUSTOS, RESOLVEMOS DESCANSAR DEBAIXO DA ÚNICA ÁRVORE QUE HAVIA RESTADO. JÁ ERA NOITE FEITA. CADA UM DE NÓS, VENCIDOS PELO CANSAÇO, FOI ADORMECENDO. PARECIA QUE EU NEM TINHA DEITADO, QUANDO O GALO CANTOU. 
ABRI OS OLHOS. ESTAVA NA BIBLIOTECA DA CASA DA MINHA AVÓ. OLHEI PARA O ZECA E ELE ESTAVA TÃO CRIANÇA QUANTO EU. SEM DEMORA, FIZ QUESTÃO DE ACORDAR OS OUTROS.
- AH, QUE É ISSO? NEM FECHEI OS OLHOS JÁ TENHO QUE ACORDAR?
- NEM ADIANTA ME CHAMAR. EU PRECISO DE NOVE HORAS DIÁRIAS DE SONO, SENÃO EU NÃO SOU NINGUÉM.
A TUCA SE LEVANTOU E ME OLHOU ESPANTADA. LOGO DEPOIS ZECA E TECA SE LEVANTARAM.
PARECIA QUE ELES TAMBÉM NÃO ESTAVAM ENTENDENDO NADA. NINGUÉM DISSE UMA PALAVRA. 
FICOU A CERTEZA: 
NOSSA VONTADE DE VER O FINAL DO ARCO-ÍRIS ERA TANTA QUE ACABAMOS SONHANDO, JUNTOS, O MESMO SONHO. 
BEM, ISSO É O QUE PENSAMOS DURANTE MUITO TEMPO, POR QUE HOJE TECA É MÉDICA, ZECA, ALÉM DE USAR BARBA, É DIRETOR DE UMA FÁBRICA DE PANELAS, E EU E TUCA ESTAMOS CASADOS E TEMOS TRÊS FILHOS.
SERÁ QUE AQUILO FOI UM SONHO OU NO FINAL DO ARCO-ÍRIS EXISTE UM POÇO MISTERIOSO?
----------------------------------------------------------- 
 03

A LENDA DO ARCO IRIS
UMA VEZ, HÁ MUITOS ANOS, TODAS AS CORES DO MUNDO COMEÇARAM, A DISCUTIR RECLAMANDO CADA UMA SER A MELHOR, A MAIS IMPORTANTE, A MAIS ÚTIL, A MAIS FAVORITA.

O VERDE DIZIA: “É EVIDENTE QUE SOU A MAIS IMPORTANTE. A MINHA COR É SINAL DE ESPERANÇA. FUI A COR ESCOLHIDA PARA OS PRADOS, PARA AS ÁRVORES, PARA AS FOLHAS. SEM MIM TODOS OS ANIMAIS MORRERIAM. É SÓ OLHAR POR ESSES CAMPOS A FORA PARA VER COMO ESTOU EM MAIORIA.

O ROSA ERGUEU-SE EM TODA SUA MAJESTADE: ERA MUITO ALTO E FALOU COM GRANDE POMPA: “SOU A COR DA REALEZA E DO PODER. OS REIS, OS CHEFES E OS BISPOS ESCOLHERAM-ME SEMPRE PORQUE SOU SINAL DE AUTORIDADE E SABEDORIA.
NINGUÉM ME QUESTIONA, TODOS ME ESCUTAM E OBEDECEM.

O 
AZUL INTERROMPEU:
“SÓ ESTÁS A PENSAR NA TERRA, MAS OLHA PARA A COR DO CÉU E DO MAR. A ÁGUA É A BASE DA VIDA E SÃO AS NUVENS QUE A TIRAM DO MAR AZUL. O CÉU OFERECE ESPAÇO, PAZ E SERENIDADE. SEM A MINHA PAZ, NÃO PASSARÍAMOS DE CORPOS ATAREFADOS”.

O 
AMARELO RIU:
“SÃO TODAS TÃO SÉRIAS. EU TRAGO O RISO, A ALEGRIA E O CALOR PARA O MUNDO. O SOL É AMARELO, A LUA É AMARELA AS ESTRELAS SÃO AMARELAS. SEMPRE QUE SE OLHA PARA UM GIRASSOL O MUNDO INTEIRO COMEÇA A SORRIR. SEM MIM NÃO HAVERIA NADA DE DIVERTIDO!.

FOI O 
BRANCO QUE A SEGUIR FEZ SOAR A SUA VOZ:
“SOU A COR DAS COISAS SIMPLES E PURA, SOU O SÍMBOLO DA PAZ E DA TRANQÜILIDADE, ONDE VOCÊ ENCONTRA O BRANCO, COM CERTEZA O CRIADOR DO UNIVERSO ALI SE ENCONTRA”.

O 
VERMELHO JÁ NÃO AGUENTAVA MAIS BERROU:
“SOU EU QUE MANDO EM VOCÊS TODAS, SOU SANGUE DA VIDA. SOU A COR DO PERIGO E DA BRAVURA, ESTOU SEMPRE PRONTO A LUTAR POR QUALQUER CASA. TRAGO FOGO NO SANGUE. SEM MIM A TERRA ESTARIA TÃO VAZIA COMO A LUA. SOU A COR DA PAIXÃO E DO AMOR, DA ROSA VERMELHA E DA PAPOULA”.

O 
VIOLETA FALOU MUITO MAIS CALMAMENTE QUE OS OUTROS TODOS, MAS COM A MESMA CONVICÇÃO:
 “PENSE EM MIM. SOU A COR DO SILÊNCIO. 
NÃO DÃO NADA POR MIM, MAS SEM MIM TODOS SÃO SUPERFICIAIS. REPRESENTO O PENSAMENTO E A REFLEXÃO, O CORPÚSCULO E AS ÁGUAS PROFUNDAS. SOU PRECIOSA PARA O EQUILÍBRIO E O CONTRASTE, PARA A ORAÇÃO E PAZ INTERIOR.
E ASSIM CONTINUARÃO A CONTAR OS SEUS LOUVORES, CONVENCIDAS QUE CADA UMA ERA MELHOR QUE AS OUTRAS, E A DISCUSSÃO IA SE TORNANDO CADA VEZ MAIS BARULHENTA. DE REPENTE, UM RELÂMPAGO RISCOU O CÉU COM SEU TERRÍVEL BRILHO BRANCO, O TROVÃO RIBOMBOU E TROOU”.

A CHUVA COMEÇOU A CAIR INCESSANTEMENTE. 
AS CORES ENCOLHERAM-SE TODAS COM MEDO ENCOSTANDO-SE UMA ÀS OUTRAS A PROCURA DE UM POUCO DE CONFORTO.
ENTÃO A CHUVA FALOU:
 “VOCÊS PATETAS, A LUTAR UMA COM AS OUTRAS, CADA UMA A TENTAR DOMINAR AS OUTRAS”.
DÊEM AS MÃOS E VENHAM COMIGO. VENHAM CRUZAR O CÉU, E LEMBRE-SE QUE TODAS SÃO QUERIDAS E PODEM VIVER JUNTAS EM PAZ.
ASSIM NASCEU O ARCO ÍRIS.
----------------------------------------------------------------------
04

EM TEMPOS REMOTOS OS CIGANOS FORAM PERSEGUIDOS E MASSACRADOS EM TODO O MUNDO.
O SEU DESESPERO ERA GRANDE, POIS ELES ODIAVAM GUERRAS, E EM VEZ DE ARMAS PREFERIAM TRANSPORTAR OS SEUS VIOLINOS, DANÇAR E CANTAR ALEGRES CANÇÕES. 
ERA ENORME O SEU DESEJO DE LIBERDADE, POR ISSO OS CIGANOS ERAM NÔMADES.
CANSADA DE FUGIR E CHORAR AS PERDAS DE PARENTES E AMIGOS, UMA BELA CIGANA, GRÁVIDA, AO VER O ARCO-ÍRIS, INVOCOU-O, PEDINDO SALVAÇÃO PARA O SEU POVO. 
FÊ-LO COM TODA A DEVOÇÃO E FERVOR, PENSANDO NO FILHO QUE CARREGAVA NO VENTRE, E QUE, EM BREVE, IRIA NASCER NO MEIO DE TODA AQUELA VIOLÊNCIA E MISÉRIA.
A MULHER, AJOELHADA E CHORANDO COPIOSAMENTE, ESPERAVA UMA RESPOSTA DO ARCO-ÍRIS, QUANDO SE APERCEBEU QUE AS CORES QUE ELA FITAVA COMEÇAVAM A BRILHAR COM MAIS INTENSIDADE, ALTERNANDO-SE RAPIDAMENTE.
LIMPOU AS LÁGRIMAS, PENSANDO ESTAR A IMAGINAR FANTASIAS; MAS, MAIS SERENA, VERIFICOU QUE NÃO ERA FANTASIA, AS CORES ESTAVAM MESMO A ALTERNAR-SE, COMO SE FOSSEM PEQUENOS SINOS EMITINDO SONS DIVINOS.
SENTIU DENTRO DE SI UMA ENORME PAZ; 
SEGUROU COM AS MÃOS O VENTRE QUE GUARDAVA O FILHO, E ROGOU AO ARCO-ÍRIS QUE ACABASSE COM A SITUAÇÃO DO SEU POVO.
DE SÚBITO OUVIU UMA VOZ EMANANDO DAS CORES DO ARCO-ÍRIS DIZENDO-LHE PARA TER CALMA, 
E GARANTINDO-LHE QUE NÃO PERDERIA O FILHO QUE ELA GUARDAVA NO SEU VENTRE COMO UM TESOURO. A VOZ ACRESCENTOU:
“ESSA CRIANÇA FARÁ COM QUE AS MINHAS CORES GANHEM VIDA NAS SUAS MÃOS E RECEBERÁ, PARA SI E TODAS AS GERAÇÕES VINDOURAS, MUITAS MOEDAS DE OURO, POIS VOU LHE OFERECER O POTE ENCANTADO QUE TRAGO COMIGO, ASSIM COMO TODA A SUA MAGIA.
COM O VERDE ELE LEVARÁ A ESPERANÇA E A FARTURA; 
COM O VERMELHO, A VIDA, O ENTUSIASMO E O VIGOR; 
COM O AMARELO, A REALEZA E A RIQUEZA; 
COM O AZUL, A SERENIDADE E A INTUIÇÃO; 
COM O LARANJA, A ENERGIA, A VITALIDADE E A EMOTIVIDADE; 
COM O VIOLETA LEVARÁ A TRANSMUTAÇÃO E A PERSEVERANÇA; 
COM O ROSA O AMOR, A BELEZA, A MORALIDADE E A MÚSICA”.

--------------------------------------------------------
                                     05
EM UM REINO MUITO DISTANTE HAVIA UMA MENINA SONHADORA.
SONHAVA QUE TUDO ERA COLORIDO.
VIVIA ACREDITANDO QUE A VIDA ERA MARAVILHOSA. NASCERA DE UMA NOITE DE DESEJOS DO SENHOR PAI E UMA LOUCURA DA SENHORA MÃE.
DE CARINHO TEVE A DISTANCIA, DE AFETO A AUSÊNCIA E COMO ACONCHEGO TEVE O ABANDONO.
AH! MAS ISSO NÃO A FAZIA DESISTIR DE CRER NAS CORES DA VIDA.
IMAGINAVA QUE TODOS OS HOMENS FOSSEM “ GRANDES HOMENS”, POR ISSO CASOU-SE.
AQUELE QUE SERIA SEU COMPANHEIRO, FOI APENAS UM ALGOZ, “UM PEQUENO HOMEM” DOS QUE JÁ HAVIA PASSADO DEIXANDO MARCAS EM SEU VIVER.
COMO  ALGOZ QUIS TIRAR-LHE O BEM MAIOR: SEUS FILHOS.
ESPERANÇA, QUE ERA SEU NOME, VIU AS CORES FUGIR-LHE DOS OLHOS, A VIDA PARECIA UMA NOITE SEM ESTRELAS.
TINHA SONHADO UMA FAMÍLIA E AGORA, QUE ESTAVA DESFEITA A MESMA, ERA EMINENTE O SUAVE BEIJO DA MORTE, PERDER SEUS FILHOS TINHAM ESTE SIGNIFICADO PARA ELA.
O TEMPO PASSOU COMO SEMPRE PASSA.
ESPERANÇA CHEGOU A UM MOMENTO DE TRANQUILIDADE E DE CONQUISTA, POIS NAQUELE REINO DEPOIS DE INSISTIR, FOI LHE DADO O DIREITO DE CONTINUAR SENDO MÃE.
MESMOS ASSIM, VÊ AGORA SEU REINO COM OUTRO OLHAR, PASSA PELOS VÁRIOS ESPAÇOS DO SEU MUNDO E ENCONTRA MUITA DOR AONDE ANDA.
SUAS LÁGRIMAS CAEM SEMPRE, POR VER O QUANTO AQUELE REINO MALTRATA OS SEUS, A FÉ NO AMOR A SI MESMO E AOS OUTROS ANDA MUITO ABALADA.
ESPERANÇA QUASE NÃO SONHA MAIS.
O DEUS SUPREMO, QUE ERA O DEUS DO REINO, VENDO QUE A LEMBRANÇA DE ESPERANÇA NÃO PODIA APAGAR-SE, RESOLVEU HOMENAGEÁ-LA.
ORDENOU QUE TODA LÁGRIMA QUE CAÍSSE E TODA ÁGUA QUE  CHOVESSE E TODA GOTA A MOVIMENTAR-SE NA LUZ SERIA ÁGUA DE MUITAS CORES.
É A PARTIR DAÍ, QUE AS ÁGUAS QUE SE MOVIMENTAM NA LUZ PASSAM A GERAR UM LINDO ARCO ÍRIS, LEMBRANDO DA MENINA SONHADORA QUE ADORAVA VER AS CORES NO MUNDO, CHAMADA ESPERANÇA.
PARA QUE NINGUÉM DEIXE A MORRER, E QUE ELA SEJA SEMPRE PRESENTE, MESMO NOS MOMENTOS DE MUITA TRISTEZA DA ALMA, QUE ELA ESTEJA LÁ: A RENOVAR-SE, A PROPOR UM NOVO DIA CHEIO DE FÉ, SURGE O ARCO – ÍRIS.

 VOCÊ CONHECE OUTRAS LENDAS SOBRE O ARCO IRIS ?

Um comentário :

  1. Olá Eliene \o/
    O arco-íris é tão belo que causa fascínio.
    Muito me encanta também sua simbologia bíblica: justiça e paz divina.
    :) Bjs

    ResponderExcluir

Para você tudo de bom e um carinho sempre novo em agradecimento pela sua presença no fim do arco iris. Abraços.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...