.

.

Mensagem do dia

01 junho 2016

MAIS UMA PRIMAVERA.

Acordei hoje pela manhã..lá pelas cinco horas, como de costume, e nas minhas orações matinais, agradeci a DEUS, pela oportunidade de viver mais um dia para realizar as tarefas diárias que a própria vida nos impõe como...cantar, dançar, perdoar, amar, agradecer, trabalhar, louvar, orar, estudar, aprender...como meios de nos tornar pessoas melhores, tanto  para nós mesmos, como também fazer por merecer a companhia de pessoas especiais ao nosso redor, como familiares, amigos, camaradas, enfim, os chamados companheiros de jornada.

Confesso que contar a passagem do tempo nos seus 65 anos e fazer deles uma parte da minha vida, fico pensando se o tempo está inserido na minha vida, ou eu com o meu tempo já vivido estou inserida no tempo já passado.
Complicado, não é?

Pois é....fazer do tempo um aliado no auge dos meus completos 65 anos, é procurar um companheiro sábio, um grande administrador do que estar por vir, o meu desconhecido futuro, que por exigência própria, requer atenção especial mediante ações preventivas na questão pessoal, física, mental, social, econômica, enfim tudo que diz respeito a uma boa chegada no fim da corrida.   
Há muitos que chegam ao fim da jornada, tão ignorantes como no início dela. Vigilância total e sempre.

O percurso nem sempre foi em linha reta da onde pode se ver o horizonte.  Nas curvas dos caminhos, surpresas, armadilhas, subidas e descidas íngremes e dolorosas nos morros da ignorância, na falta de orientação, de atitudes impensadas, perdas incomensuráveis, mas no cair e levantar das nossas próprias inquietações e medos, ressurgir das cinzas é uma vitória sem precedentes, quando diante dos olhos se vê que no meio desse deserto, lá estava um oásis cheio de amor e atenção, cercado por familiares e amigos, onde a arte da amizade foi cultivada como planta rara á espera de se fazer presente.

Assim o dia amanheceu hoje em festa, não só pela marcação, mais uma no calendário da minha existência, mas pela grandiosidade do momento em que DEUS me deu como benção, o direito e o dever de estar aqui agora....
hoje...ainda...por enquanto e sempre.
Com certeza que estaremos sempre vivos nos corações de todos aqueles que nos ama e lembra-se de nós.

Fico agradecida pelas mensagens enviadas, lembrando que alegremente usarei o tema a seguir como uma trajetória pré-estabelecida de conscientização da minha nova idade.

                TEMA: EU ENVELHECI

Um dia desses uma jovem me perguntou como eu me sentia sobre ser velha.   Levei um susto, porque eu não me vejo como uma velha.  Ao notar minha reação, a garota ficou embaraçada, mas eu expliquei que era uma pergunta interessante, que pensaria a respeito e depois voltaria a falar com ela.

Pensei e concluí: a velhice é um presente. Eu sou agora, provavelmente pela primeira vez na vida, a pessoa que sempre quis ser. Oh, não meu corpo! Fico incrédula muitas vezes ao me examinar, ver as rugas, a flacidez da pele, os pneus rodeando o meu abdome, através das grossas lentes dos meus óculos, o traseiro rotundo e os seios já caídos.
E constantemente examino essa pessoa velha que vive em meu espelho (e que se parece demais com minha mãe), mas não sofro muito com isso.

Não trocaria meus amigos surpreendentes, minha vida maravilhosa, e o carinho de minha família por menos cabelo branco, uma barriga mais lisa ou um bumbum mais durinho.

Enquanto fui envelhecendo, tornei-me mais condescendente comigo mesma, menos crítica das minhas atitudes.
Tornei-me amiga de mim mesma.
Não fico me censurando se quero comer um bolinho-de-chuva a mais, ou se tenho preguiça de arrumar minha cama, ou se compro um anãozinho de cimento que não necessito, mas que ficou tão lindo no meu jardim. 
Conquistei o direito de matar minhas vontades, de ser bagunceira, de ser extravagante.

Vi muitos amigos queridos deixarem este mundo cedo demais, antes de compreenderem a grande liberdade que vem com o envelhecimento.

Quem vai me censurar se resolvo ficar lendo ou jogar paciência no computador até às 4 da manhã e depois só acordar ao meio-dia?

Dançarei ao som daqueles sucessos maravilhosos das décadas de 50, 60, 70 e se, de repente, chorar lembrando alguma paixão daquela época, poderei e vou chorar mesmo!  

Andarei pela praia em um maiô excessivamente esticado sobre um corpo decadente, e mergulharei nas ondas e darei pulinhos se quiser, apesar dos olhares penalizados dos outros.

Eles, também, se conseguirem, envelhecerão.

Sei que ando esquecendo muita coisa, o que é bom para se puder perdoar.  Mas, pensando bem, há muitos fatos na vida que merecem ser esquecidos.

E das coisas importantes, eu me recordo frequentemente.

Certo, ao longo dos anos meu coração sofreu muito.  
Como não sofrer se você perde um grande amor, ou quando uma criança sofre, ou quando um animal de estimação  é atropelado por um carro? Mas corações partidos são os que nos dão a força, a compreensão e nos ensinam a compaixão.

Um coração que nunca sofreu é imaculado e estéril e nunca conhecerá a alegria de ser forte, apesar de imperfeito.

Sou abençoada por ter vivido o suficiente para ver meu cabelo embranquecer e ainda querer tingi-los a meu bel prazer, e por ter os risos da juventude e da maturidade gravados para sempre em sulcos profundos em meu rosto.

Muitos nunca riram, muitos morreram antes que seus cabelos pudessem ficar prateados.

Conforme envelhecemos, fica mais fácil ser positivo. E ligar menos para o que os outros pensam.

Eu não me questiono mais.
Conquistei o direito de estar errada e não ter que dar explicações.

Assim, respondendo à pergunta daquela jovem graciosa, posso afirmar: "Eu gosto de ser velha".
Libertei-me!
Gosto da pessoa que me tornei.

Não vou viver para sempre, mas enquanto estiver por aqui, não desperdiçarei meu tempo lamentando o que poderia ter sido, ou me preocupando com o que virá.

E comerei sobremesa todos os dias e repetirei, se assim me aprouver...
E penso que nunca me sentirei só.

Sou receptiva e carinhosa, e se amizades antigas teimam em partir antes de mim, outras novas, assim como você, vêm a mim, buscar o que terei sempre para dar enquanto viver: Experiência e muito amor...
Autoria desconhecida.

 photo assinatura_7_zpsff26786e.gif
Meu agradecimento carinhoso á todos os companheiros de jornada, blogueiros...facebokeiros...que estão sempre presentes, todos juntos e misturados no mesmo trem azul da minha vida. Abraços.


4 comentários :

  1. Parabéns,Eliene! Felicidades, alegrias, saúde ,amor e tuuuuuudo que desejares nesse teu dia e SEMPRE! Lindo niver! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Olá, Eliene, querida...

    Hoje é um dia mto especial. É Seu ANIVERSÁRIO. MUITOS PARABÉNS, PAZ, LIBERDADE, CONTINUAÇÃO DE ELEVADA AUTOESTIMA E MUITA SAÚDE, sobretudo.

    O texto não foi escrito por voce, mas poderia ter sido, mas bem k poderia ter sido. Eu a vejo, desse jeito.

    beijos e cont. de boa semana.

    ResponderExcluir
  3. Luminoso e colorido fim de semana, querida Eliene...

    beijinho.

    ResponderExcluir
  4. minha querida,

    Que o dia de aniversário tenha sido mto feliz e enriquecedor.
    Gostei k voce viesse a o meu blog. Mto obrigada...

    Uma semana de luz. Beijinhos.

    ResponderExcluir

Para você tudo de bom e um carinho sempre novo em agradecimento pela sua presença no fim do arco iris. Abraços.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...