.

.

Mensagem do dia

15 novembro 2016

O meu vizinho é meu parente mais próximo. E o seu?

Cresci ouvindo dizer “O vizinho é o parente mais próximo.”
Já ouviu falar sobre isso?
 Naturalmente que é difícil encarar certas situações provocadas por nossos companheiros vizinhos “de porta” como chamamos todos os mais próximos de nós.

Para melhorar e conservar as amizades geradas pela convivência em um mesmo espaço significativo, onde existe uma diversidade de conceitos e opiniões que vão de encontro a muitas outras tantas maneiras de pensar e agir,  se faz necessário ter um conduta do bem viver com todos independente das suas convicções e crenças.

Acredito que a sinceridade e manter sempre a porta aberta do diálogo facilita o entendimento de forma que exista liberdade para falar sobre tudo que se refere ao bem estar da total vizinhança.

Moro em um corredor de casas, o tradicional “beco” como se refere pessoas que não fazem parte da nossa comunidade. Faz parte da discriminação silenciosa que sofremos por ter esse local como moradia.  E uma pena que pensamentos pequenos e dessa natureza ofusque a grandeza dos seus moradores e do local que inspira paz e sossego mesmo sabendo que atrás de cada porta exista uma história de vida de cada um de nós.

Somos poucos. Em números de dez famílias. “Condomínio pequeno” Aqui está de passagem pessoas nas mais diversas idades... Crenças religiosas... Seitas... Visão de vida com seus conceitos e valores impares, mas conscientes de que o respeito e o bom senso são fundamentais para que a nossa comunidade seja vista como um local que abriga pessoas do bem... de boa índole e educação.  

É natural que exista em algum momento um desgaste emocional, pois não deixa de ser uma tarefa difícil à convivência diária com pessoas que não são do ciclo familiar, mas com grandes chances de torna-la mais próspera e produtiva.

Confesso que para alcançar às melhorias que hora usufruímos as conversas interativas, os gestos exemplares, as atitudes compartilhadas estão sempre em pauta e cada vez mais em observação para que estejamos sempre avançando em busca da valorização  local.  Enquanto aqui eu estiver farei por onde.
Pós mim... deus nos controle de todas as coisas.

Somos  beconienses. E temos orgulho disso. Estamos bem instalados. Nossas casas não diferem das demais. Tem teto... Tem piso... Tem paredes.... ah! Tem amor, muito amor. Esse não pode faltar.
Estamos abrigados das intempéries da vida.

Hum... Tem um caminho verde para alegrar os olhos de quem entra e aguçar a curiosidade dos que querem  saber quem cuida e como cuida tornando-o agradável ao passar, e  como forma de agradecimento por fazer parte desse lugar crescem viçosas e brilhantes.  Eu sou sua cuidadora.

Pois bem.
Devemos ter uma relação saudável com os nossos vizinhos companheiros de jornada. 
O motivo real dessa postagem é que no dia 11 de novembro, já no final da tarde, minha neta Ester,  caiu da balaustrada  ou cais que separa o mar da terra, sofrendo uma fratura  no braço esquerdo por ter amortecido a queda.  Ficamos muito agradecidos a DEUS pelo livramento, pois poderia ser de maior gravidade.

Enquanto aguardávamos os resultados dos exames da pequena Ester  em uma das salas do hospital, adentrou ao recinto uma mãe em aflição com uma criança de 11 anos que sofreu fratura exposta e diante da gravidade foi de imediato encaminhada para o C.C.

Enquanto isso....Pense em quem socorreu uma mãe desesperada em busca de noticias da filha amada Ester?
O nosso vizinho... Que não é parente... Mas é um companheiro de jornada... um beconiense...um camarada prestativo...e o S.O.S imediato é o que realmente importa.
Quando se tem uma família grande sempre se tem um parente por perto na é verdade?
O meu núcleo familiar é pequeno e restrito. Então fazemos do nosso vizinho o nosso parente mais próximo.

Olha só o que eu descobri nas minhas andanças na net....
Sabia que existe o dia dedicado ao vizinho. Novidade para mim.
Nada mais justo afinal estimular uma boa  amizade e o bom convívio com todos faz parte da educação domestica e social.

Comemora-se o dia do vizinho no dia 23 de dezembro pouquinho antes do natal. Por curiosidade em alguns estados brasileiros a comemoração é 20 de agosto também homenageando o nascimento da poetisa Cora Coralina.
E por que isso?
Cora tinha como tema principal de suas obras a vizinhança que a viu crescer e conviveu muito tempo com todos fazendo com que a data se promulgasse além de Goiás, lugar do seu nascimento, e que  invadisse vilas, ruas, bairros e prédios,cidades, países,  mas que também desenvolvesse  interesses, preocupações, planos contribuindo assim a valorizar o seu vizinho do lado.
E você?
Tem um bom relacionamento com seu vizinho?
Tem fundamento na Palavra de Deus.
“Melhor o vizinho que está perto do que um irmão que está longe.”

Um comentário :

  1. Oi Eliene,
    Gostei tanto da sua postagem...
    em 6 anos de blogosfera, nunca vi
    ninguém escrever sobre vizinhos.
    Muito original esse assunto.
    Agora de pouco, conversava com minha mãe e dizia
    que tenho muito mais amizade e afinidade
    com alguns vizinhos, do que com certos parentes.
    Tenho vizinhos prestativos e queridos,
    e a maioria me conhece desde criança.
    E como sabemos, conviver é uma arte, e
    com algumas pessoas precisamos ter jogo de cintura,
    para usufruir de uma boa convivência.
    Beijos \o/

    ResponderExcluir

Para você tudo de bom e um carinho sempre novo em agradecimento pela sua presença no fim do arco iris. Abraços.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...