Mensagem do dia

22 setembro 2019

Bons conselhos nunca é demais.



A SEGURANÇA DA PESSOA IDOSA INTERNADA EM HOSPITAL
(Um texto grande, mas muito importante. Leia tudo)

Você pode pensar que ajudar o seu familiar idoso a chegar ao hospital é tão simples, quanto deixá-lo no pronto socorro ou na admissão-internamento, é permitir que a equipe do hospital cuide do resto.

                                               Pense de novo.
Pessoas idosas precisam muito de nossa ajuda, porque os riscos de eventos adversos dentro dos hospitais, se acontecem, os idosos são as principais vítimas.

Mesmo uma estadia curta pode ser repleta de problemas médicos, erros de medicação, quedas, doenças infecciosas e uma série de outros eventos com risco de vida para as pessoas idosas no hospital.

A equipe médica do hospital quer o melhor atendimento médico para o seu familiar idoso, mas eles estão sob uma grande pressão.
Poucos conseguem superar a sobrecarga de pacientes, uma escassez de enfermeiros em todo o país e uma escassez de médicos preparados e especialistas.

Muitos hospitais no Brasil estão sofrendo com dificuldades financeiras, tornando-os incapazes de atender as muitas necessidades e vulnerabilidades dos pacientes mais idosos.

                Seja você, familiar, a voz de seu familiar idoso.
Você como membro da família, deve monitorar os cuidados médicos de seu familiar idoso e fornecer apoio durante uma internação hospitalar, para minimizar os riscos hospitalares.

E quais são os principais riscos que as pessoas idosas podem ter, quando ficam internadas?

Lembrando que quanto mais idoso e mais dependente, mais fáceis de correr riscos de eventos adversos:

1- O delirium, ou seja, a confusão mental momentânea, ocorre em 1/3 dos pacientes hospitalizados com mais de 65 anos e em mais de 70% dos pacientes idosos em UTI. Razões para isso incluem doença grave, exposição a novos medicamentos, interrupção das rotinas normais e distúrbios do sono. Os familiares costumam ser os primeiros a perceber mudanças que possam indicar delirium.

2- Se a pessoa idosa está acamada e não estiver em condições de se acomodar ou virar constantemente no leito, ela estará em risco de úlceras de pressão (escaras de decúbito). Úlceras de pressão afetam 1 milhão de pessoas idosas, anualmente.

3- Pacientes mais velhos podem ter vários problemas médicos, exigindo que vários especialistas estejam envolvidos em seu caso. Isso pode ser confuso e difícil de coordenar para qualquer paciente. Muitas vezes, o especialista em geriatria poderá ser extremamente útil, para conciliar os mais diversos problemas de saúde do idoso hospitalizado, evitando que medicamentos e exames possam causar efeitos adversos.

4- E por falar em medicamentos, novos medicamentos podem ser introduzidos, o que pode levar a efeitos colaterais. Pacientes geriátricos podem estar tomando vários medicamentos, causando várias interações e misturas, o que pode levar a efeitos adversos.

5- As pessoas idosas hospitalizadas correm um risco maior de cair, de sofrer quedas, especialmente se estiverem sedadas ou desorientadas. Entre os idosos, as quedas são a principal causa de lesões e mortes, em ambiente hospitalar.

6- Os idosos podem estar em risco de desnutrição. Estudos citam que 58% dos pacientes com 65 anos ou mais têm problemas para comer. O estado nutricional de pacientes mais idosos tem sido relatado em ambiente hospitalar. Isso pode, inclusive, retardar a recuperação do paciente.

7- A propagação de doenças infecciosas, principalmente a pneumonia, é muito grande nos hospitais. A razão pela qual a pneumonia adquirida no hospital é mais grave é devido aos germes infecciosos mais agressivos, tornando mais difícil o tratamento. Podendo, não raro, levar a pessoa idosa para UTI e até causar a morte.

O que os familiares das pessoas idosas podem fazer para ajudar durante o internamento:

1- Ter o histórico médico do paciente.
Traga a história médica completa de seu familiar idoso. Muitas vezes é bem mais difícil para a equipe médica no hospital coletar as informações que precisa, de uma pessoa idosa muito doente.

2- Tenha uma lista de medicamentos do paciente.
Traga uma lista atual dos medicamentos do paciente, incluindo medicamentos sem receita e quaisquer ervas e suplementos tomados. Inclua alergias a medicamentos e alimentos. 

3- Traga óculos e aparelhos auditivos.
Certifique-se de que a pessoa idosa tenha esses itens essenciais à mão para ver e ouvir melhor o que está acontecendo.

4-Faça o quarto do hospital do paciente como em casa. Pacientes mais velhos se saem melhor no hospital se alguma de suas rotinas e senso de familiaridade forem preservados.

Traga o mundo exterior para o seu quarto de hospital. Isso inclui o travesseiro preferido, fotos de familiares e amigos, um relógio para ajudá-los a controlar o tempo, agenda de endereços, caso desejem contatar seus entes queridos, também livros, revistas, televisão e músicas.

5- Prevenção de escaras de decúbito.
Se seu familiar idoso não conseguir se mexer na leito, monitore quantas vezes seu corpo foi mudado de posição para evitar úlceras de pressão. Peça ao enfermeiro de sua ala para ajudá-lo com isso.

6- Conheça os médicos.
Esteja presente durante as visitas dos médicos para conversar com eles. Você quer que esses médicos vejam você como um ser humano que está envolvido com o seu pai, mãe ou outro parente. Crie uma lista de perguntas com antecedência e documente as respostas em um caderno.

7- Esteja ciente do comportamento e das mudanças de humor. Documente em um caderno como o paciente está fazendo diariamente. Esteja ciente de qualquer humor repentino ou alterações cognitivas no paciente, como sonolência, apatia, confusão, pouca ou nenhuma fala ou movimento, agitação ou alucinações. Se você notar uma mudança repentina, chame a atenção do médico do paciente e da enfermeiro e peça uma avaliação.

8- Monitorar refeições.
Às vezes, pacientes mais idosos têm dificuldade em comer e podem precisar de assistência. As responsáveis pela nutrição e dietética do hospital podem ser muito rápidas para tirar as bandejas antes que o paciente tenha tempo ou estão posicionados para comer. Monitore as restrições alimentares para garantir que o paciente receba as refeições que o médico e a nutricionista receitaram.

9- Evite quedas.
Se o seu familiar idoso está em risco de cair, fique ao lado do leito em todos os momentos. Você pode criar uma equipe familiar com outros parentes em turnos. Isso evita a necessidade de restrições, ou seja, de prender nosso idoso querido no leito.

10- Prevenir doenças no hospital.
Para evitar a disseminação de doenças infecciosas adquiridas no hospital, como a pneumonia, peça a todos que entrarem em contato com o paciente para lavar as mãos ou usar álcool-gel. Você pode criar um cartaz feito à mão para ser colocado na parede acima da cama do paciente que diz: "Por favor, lave as mãos antes de me tocar." Muitos hospitais de bom padrão tem o gel antibacteriano no quarto do paciente. Peça a todos para usá-lo.

11- Fornecer conforto.
Por último, mas não menos importante, ofereça conforto ao paciente. Ele ou ela pode estar com medo no hospital e pode se sentir ainda mais desconfortável com a perda de controle de toda a situação. Assegure-lhe que ele vai melhorar e que você e sua família também estão cuidando

Dr. Márcio Borges - geriatra.


18 agosto 2019

Mapa das emoções humanas


Conheça o grande mapa das emoções humanas 
e entenda como seu corpo funciona
COMPARTILHAR:

A ansiedade pode ser refletida por uma dor no peito.
A paixão provoca sensações gostosas pelo corpo inteiro.
Quase todos nós podemos confirmar estas afirmações pelas nossas experiências pessoais.

Mas, agora, há argumentos científicos para isso.
Na Universidade de Aalto, na Finlândia, pesquisadores fizeram um mapa completo de todas as emoções humanas e os resultados demonstram que as mais comuns têm um impacto muito forte e claramente identificado no corpo de quem as experimenta.
E essas sensações são quase idênticas tanto em habitantes da Europa Ocidental como da Ásia.



A experiência indica que, além de fatores culturais, as sensações corporais, causadas pelas emoções, têm uma base biológica, ou seja, não são apenas sentidas pelo corpo e, sim, geradas por ele.  

Um dos autores da pesquisa explica a dinâmica: “as emoções não apenas refletem nosso estado mental, mas também nosso estado corporal. E, dessa forma, nos preparam para reagir rapidamente em situações perigosas ou agradáveis”.

Nas imagens registradas pela equipe da universidade, podem-se observar efeitos físicos das sensações de fúria, medo, repulsa, felicidade, tristeza, surpresa, ansiedade, amor, depressão, desprezo, orgulho, vergonha e inveja.

As mais intensas estão marcadas em vermelho; e as menos, em azul. 
Interessante...
Vale a pena compartilhar.
Conhecimento nunca é demais.

04 agosto 2019

Repostando A gente morre e fica tudo aí......



“A GENTE MORRE e fica tudo aí”...
 -Os planos em longo prazo e as tarefas de casa.
-As dívidas com o banco, às parcelas do carro novo que a gente comprou pra ter status.

A GENTE MORRE sem sequer guardar as comidas na geladeira, tudo apodrece, a roupa fica no varal.
A GENTE MORRE se dissolve e some toda a importância que pensávamos que tínhamos, a vida continua, as pessoas superam e seguem suas rotinas normalmente.
A GENTE MORRE e todos os grandes problemas que achávamos que tínhamos se transformam em um imenso vazio, não existem mais problemas.
Os problemas moram dentro de nós.
As coisas têm a energia que colocamos nelas e exercem em nós a influência que permitimos.

A GENTE MORRE e o mundo continua caótico, como se a nossa presença ou ausência não fizesse a menor diferença.
Na verdade, não faz.
Somos pequenos, porém, prepotentes. Vivemos nos esquecendo de que a morte anda sempre à espreita.

A GENTE MORRE, pois é.
É bem assim: Piscou, morreu.
O cachorro é doado e se apega aos novos donos.
Os viúvos se casam novamente, fazem sexo, andam de mãos dadas e vão ao cinema.

A GENTE MORRE e somos rapidamente substituídos no cargo que ocupávamos na empresa.
As coisas que sequer emprestávamos são doadas, algumas jogadas fora.
Quando menos se espera, A GENTE MORRE.

Aliás, quem espera morrer?
Se a gente esperasse pela morte, talvez a gente vivesse melhor.
Talvez a gente colocasse nossa melhor roupa hoje, fizesse amor hoje,
Talvez a gente comesse a sobremesa antes do almoço.
Talvez a gente esperasse menos dos outros,
se a gente esperasse pela morte,
Talvez a gente perdoasse mais, sorrisse mais,
Saísse à tarde para ver o mar,
Talvez a gente quisesse mais tempo e menos dinheiro.

Quem sabe, a gente entendesse que não vale a pena se entristecer com coisas banais, ouvisse mais música e dançasse mesmo sem saber.

                                               O tempo voa.
A partir do momento que a gente nasce, começa a viagem veloz com destino ao fim, e ainda há aqueles que vivem com pressa!
Sem se dar o presente de reparar que cada dia a mais é na realidade um dia a menos, porque A GENTE MORRE o tempo todo, aos poucos e um pouco mais a cada segundo que passa.

O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO COM O TEMPO QUE TE RESTA? 

Quem escreveu? 
Não sei. 
Se você souber , por favor, escreva para nós. Agradeço.
--------------------------------------------------------

Então... recebi por email  o seguinte comentário: 
Fiama Parreira  sobre a MINHA postagem "A gente morre...e aí?": 

Disse ela: :ESSE TEXTO É DE MINHA AUTORIA, PUBLICADO NO MEU BLOG EM MARÇO DE 2017:https://byfisince93.blogspot.com/2017/03/a-gente-morre-e-fica-tudo-ai.html

Obrigada por colocar ao menos "de autoria desconhecida" pois deparei-me hoje com várias pessoas que utilizaram meu texto como se fossem de sua autoria e fiquei desmotivada a continuar escrevendo.

Diante de tal acusação respondi: 
Acredito que em  momento algum deixei claro que esse texto fosse meu. Reproduzi  no meu espaço do mesmo jeito que o alcancei na internet. Apresenta-se  de " autoria desconhecida" foi por conta de que assim o achei. Peço perdão se fiz com que assim pensasse mas tenho por uma questão de ética e moral não me apropriar do que não me é devido. Achei por deveras interessante, e consequentemente o coloquei em um lugar de  destaque para ser visto e quem sabe compartilhado pelos meus amigos e visitantes, naturalmente com os devidos créditos se assim souberem . Observe os registros em marcadores. Achados na net. Recebido por email. Compartilhando textos.  Posso  excluir...apagar... para evitar mais constrangimento. Mais vez peço-lhe perdão  Senhora Fiama Parreira Autora do referido pelo ocorrido. Que deus continue lhe abençoando lhe dando sabedoria para o dom de escrever. Não desista. Os meus também são lançados ao vento. Fica a cargo da consciência de cada um.  

Mudando de opinião. Vou conservá-lo no meu espaço com o devido esclarecimento em resposta e defesa da acusação. 


Jesus lhe abençoe.  Atenciosamente Lyah. 


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...